SOMENTE POR CORTESIA

"A cortesia é o artifício das pessoas inteligentes

para manter à distância os importunos."

Emerson

Capítulo 74

Dana consulta o relógio que está na parede.

Quase seis horas da tarde.

"E o Mulder disse que viria cedo para irmos em casa de minha mãe...!" pensa, perturbada.

O telefone celular sobre a mesa a tenta fazer uma chamada para Mulder, porem condena-se a si mesma por tal pensamento. Não deve perturba-lo em seu trabalho.

* * * * *

O barulho dos motores dos automóveis nas ruas está impedindo Mulder de ouvir com clareza as palavras da insinuante mulher à sua frente.

Mulder sorri.

Voltam-se os dois ao ouvirem o chamado.

Aproxima-se o colega do Bureau.

Mulder faz uma aceno com a cabeça, compreendendo o desejo do outro.

Apresenta ao rapaz a sua acompanhante.

A boquiaberta e atarantada Angela White queda-se a observar sua quase presa afastar-se no seu caminhar peculiar.

E enquanto caminha, Mulder toma o celular para fazer a ligação para o Diretor Assistente, que, segundo seu colega, está aguardando sua chamada.

Desnorteada, Angela lança um sorriso para o simpático Agente Davis ao seu lado.

O agente arregala os olhos, admoestando-se a si mesmo por ser tão mal-educado com uma dama.

Mulder pára e olha para trás.

O casal aproxima-se de Mulder em passos apressados.

Angela segura-o firme pelo braço:

E Davis logo afasta-se do local, apressadamente.

Angela dá alguns passos.

Mulder nada responde. Recomeça a caminhar.

Chegam até próximo ao carro.

Mulder abre a porta para entrar; senta-se ao volante. Joga sobre o painel do carro o telefone celular.

Angela aguarda do lado de fora, que ele destranque a porta do lado do carona, segurando a maçaneta. Mulder destrava o trinco da porta.

Angela abre-a e entra.

Mulder permanece calado. Liga a chave de ignição do motor.

Angela o observa por alguns instantes.

Mulder cala-se. Em seus pensamentos maldiz-se por estar dando atenção à mulher, mas sente que é somente por uma questão de cortesia que está atendendo a seus apelos. Começa a dar a marcha a ré no carro, para deixar o estacionamento.

Com a atenção voltada para a parte traseira do veículo, não percebe os olhares mais que cobiçosos de Angela White sobre si.

Ele a olha de revés.

Mulder sorri, lisonjeado.

O sinal luminoso vermelho faz com que todos os veículos tenham que parar.

Angela coloca o braço sobre os ombros de Mulder.

- Aah, Mulder... Fox... faz um tom de voz suave ... sabe que desde aquele dia você

jamais saiu do meu pensamento?

- E daí você consultou um psicanalista. diz sarcástico.

Ela continua envolvendo-o com o braço às suas costas.

Um tranco pelo reinicio da partida do veículo faz Angela dar um pinote para a frente.

Mulder não responde. Essa mulher bonita, insinuante e coquete o tenta de todos os modos. Mas o seu coração está voltado para casa. Para a sua Scully. A dona de seus pensamentos.No entanto deve proferir uma palavra, a qual se torne uma atitude decisiva para essa mulher que está ao seu lado agora.

"Uma palavra dita a tempo vale mais

do que um longo discurso tardio."

Denis